old woman happy and smiling, her hands are in the air
Incontinência

Perda de controle da bexiga – Aspecto físico (homens e mulheres)

Existem inúmeras razões que fazem com que homens e mulheres de todas as idades sofram de problemas de controlo de bexiga. Para entender as diferentes causas, descubra como a bexiga funciona.

Incontinência urinária – conhecida como “vazamento da bexiga” ou “fuga de urina” – descreve a perda involuntária de urina. Afeta pessoas de ambos os sexos, de qualquer idade, embora ocorram riscos diferentes para homens e mulheres em diferentes faixas etárias.

A young woman and an old man are walking together in a park.

Contudo, na idade adulta, é mais comum as mulheres padecerem de incontinência urinária do que os homens. Isto acontece principalmente devido às diferenças anatómicas na região pélvica e mudanças induzidas pela gravidez e nascimento. A incontinência urinária não tem que, inevitavelmente fazer parte do envelhecimento, mas a sua prevalência tende a aumentar com o avançar da idade.

Como funciona a bexiga

bladder of a man and women

Para entender as diferentes causas da incontinência e as diferenças enfrentadas entre homens e mulheres, é essencial perceber como funciona uma bexiga saudável.

A bexiga é um órgão em forma de balão – um músculo, de facto – que assenta na pélvis, e é suportado e mantido no lugar pelos músculos do pavimento pélvico. O seu propósito é armazenar a urina libertada pelos rins antes de ser eliminada do corpo.

Um tubo, designado por uretra, liga a bexiga aos genitais, e é por aí que a urina passa. Músculos em forma de anéis, designados por esfíncteres, controlam a uretra, mantendo-a fechada para que a urina não fuja da bexiga antes de ser eliminada, enquanto as hormonas ajudam a manter o forro da bexiga e da uretra saudáveis.

O músculo da bexiga relaxa quando se enche de urina, e contrai-se no ato de urinar. Os nervos transportam os sinais da bexiga para o cérebro – para informar o cérebro de que a bexiga está cheia – e do cérebro para a bexiga – para informar a bexiga que é altura de urinar.

Para o sistema urinário fazer o seu trabalho eficientemente, músculos e nervos devem trabalhar em conjunto para segurar a urina na bexiga e depois libertá-la na altura certa.

Se os músculos ou nervos estão debilitados, isto pode levar à incontinência.

A woman, dressed in sport clothes, is jogging in a flourish park.

• Músculos fracos

Músculos pélvicos fracos são causadores da maior parte dos problemas de controlo da bexiga. Se a bexiga sair da sua posição, pode esticar a abertura da uretra.

 Lesões nos nervos

Nervos lesados podem enviar sinais á bexiga na hora errada, o que significa que a bexiga deita fora urina sem aviso, ou não envia qualquer sinal, i.e. o cérebro não consegue saber quando a bexiga está cheia. Os nervos podem ser lesados por doenças ou traumas. Doenças e condições que danificam os nervos incluem diabetes, Doença de Parkinson, esclerose múltipla e AVC.

Além do enfraquecimento dos músculos e do nervo lesado, certos medicamentos podem também causar problemas de controlo na bexiga.

Diferentes tipos de incontinência

Diferentes tipos de incontinência

A incontinência é geralmente categorizada como:

• Perdas de urina
Pacientes com incontinência funcional têm incapacidades mentais ou físicas que os impedem de urinar normalmente, contudo o sistema urinário por si só está estruturalmente intacto. Condições que levam à incontinência funcional incluem Doença de Parkinson , Doença de Alzheimer e outras formas de demência.

• Incontinência de urgência
Resume-se a fugas de urina depois de uma forte urgência em urinar; estes pacientes sofrem de incontinência sobre os músculos da bexiga. É causada por uma grande atividade dos músculos da bexiga que pode ser causada por um conjunto de condições como stress mental, danos nos nervos (provocada por diabetes, um AVC, uma infeção, ou outra condição médica), infeções, tumores e pedras na bexiga. Nestes casos é essencial um exame completo das causas subjacentes para um tratamento eficaz. A incontinência de urgência começa frequentemente com uma constante necessidade de urinar, contudo a urina pode ser mantida. Progride até ao ponto onde a urgência já não consegue ser controlada. A incontinência de urgência pode ser tratada com medicação, que ajudará a regular a atividade da bexiga, assim como com exercícios de Kegel, para fortalecer os músculos pélvicos e com treinos da bexiga para a extensão dos intervalos urinários.

• Incontinência de esforço
Uma em cada 5 mulheres com mais de 40 padecem de algum grau de incontinência de stress*. Isto acontece quando há perdas de urina quando a pessoa tosse, ri, espirra ou pratica exercício – ou quando existe pressão no abdómen. Esta condição é quase exclusiva das mulheres, mas não está ligada à idade – muitas mulheres jovens e atletas profissionais têm propensão para este tipo de incontinência. A incontinência de urgência não está relacionada com o stress emocional, está sim relacionada com o enfraquecimento dos músculos pélvicos e do esfíncter. Quando estes estão fracos, qualquer pressão súbita pode pressionar a urina para fora da bexiga. Exercícios de Kegel e reforço dos músculos pélvicos podem ajudar. Existe também a opção de eletroterapia ou a de uma cirurgia invasiva onde a bexiga e a uretra são colocadas numa posição anatomicamente correta.

• Incontinência por excesso
A incontinência por excesso é particularmente comum entre homens idosos. A causa, na maioria dos casos, é o confinamento da uretra devido a um alargamento da próstata, consequência comum do envelhecimento nos homens.
Esta condição é chamada de hiperplasia benigna da próstata (HBP) ou hipertrofia prostática benigna. Como a próstata aumenta, pode comprimir a uretra e afetar o fluxo do sistema urinário. Os sintomas do trato urinário inferior (STUI) associados com o desenvolvimento de HBP raramente ocorrem antes dos 40 anos de idade, mas mais de metade dos homens com cerca de sessenta anos de idade, e perto de 90 por cento com cerca de setenta e oitenta anos, experienciam algum STUI. Através do bloqueio da uretra, a urina é armazenada na bexiga e gradualmente os músculos da bexiga vão alargando. Os sintomas variam, mas os mais comuns envolvem mudanças ou problemas no ato de urinar, como um fluxo hesitante, fraco e interrompido; urgência e fugas; micção mais frequente, especialmente à noite; e incontinência de urgência. Problemas de micção não significam necessariamente que exista um bloqueio causado pelo aumento da próstata. O tratamento inclui a remoção do bloqueio por via cirúrgica, depleção da bexiga intermitente via cateterização ou excisão da próstata.

• Incontinência Mista
Incontinência mista é uma combinação de incontinência de urgência e de incontinência de esforço. Muitos pacientes experienciam sintomas de ambos os tipos.
Um exame completo das causas é essencial para o tratamento eficaz.

* (associação nacional para continência (NAFC) (2010)

 Loss of bladder control