Personal healthcare

A pressão arterial e o papel dos cuidados de saúde primários

A hipertensão é um perigo fatal escondido. Com poucos, ou nenhuns  sintomas, pode não ser detetada. Saiba como os tensiómetros para utilização doméstica estão a melhorar os cuidados com o paciente.

A pressão arterial elevada é uma das causas mais comuns de invalidez e morte. Na verdade, quase 40% das mortes de pessoas abaixo dos 60 anos de idade estão ligadas à hipertensão, sendo que 20% das pessoas com idade inferior a 50 anos sofrem de tensão arterial elevada.

O grande problema para todos os envolvidos é que os pacientes praticamente não dispõem de sintomas e por isso não sentem necessidade de medir ou monitorizar a sua tensão arterial. Dado que desconhecem a sua condição, não reportam sintomas até que exista um motivo de preocupação. Quando os sintomas se fazem sentir, a situação clínica poderá ser bastante grave.

A maioria das mortes associadas a esta condição pode ser

explicada por uma falta de tratamento correto – ou mesmo pela falta de qualquer tratamento. Apenas cerca de um quarto dos casos são tratados. 

Uma vez diagnosticada, é essencial que se controle a tensão arterial regularmente, tomando notas e controlando eventuais alterações. Deste modo podem detetar-se emergências numa fase inicial e evitar lesões mais graves.

A monitorização da tensão arterial no ambulatório e em casa permite aos pacientes um diagnóstico preciso das estatísticas da sua hipertensão. Desta forma conseguem identificar quando devem procurar ajuda médica ou alterar o estilo de vida.

Como funcionam os tensiómetros?

 An elderly couple writes the results of a hypertension test down. The sphygmomanometer is lying in front of them on the table.

Os tensiómetros são dispositivos médicos não invasivos e não causam dor. Uma braçadeira insuflável, que está ligada a um dispositivo de monitorização da tensão, é colocada à volta do antebraço. Há duas maneiras de medir a tensão arterial:

• Dispositivos de medição oscilométrica

Com estes dispositivos, a braçadeira é colocada, quer no pulso (com o braço elevado à altura do peito) quer no antebraço. A braçadeira é insuflada e libertada por uma bomba e uma válvula eletrónicas. O dispositivo usa um sensor eletrónico de pressão para ler um valor numérico. Uma vez que o fluxo sanguíneo se encontra restrito, a pressão da braçadeira varia periodicamente em sincronia com a expansão cíclica e a contração da artéria braquial. Os valores da pressão sistólica e diastólica são calculados/processados a partir dos dados em bruto, usando um algoritmo.

• Dispositivos de medição auscultatórios

Estes usam também uma braçadeira insuflável, colocada à volta do antebraço, mais ou menos à altura do coração. Após a insuflação da braçadeira e da pressão ser lentamente liberta, o sangue recomeça a fluir nas artérias. O fluxo turbulento cria um batimento de pulsação sincrónica (som de Korotkoff). A pressão a que este som é detetado pela primeira vez é a pressão sistólica. A pressão da braçadeira continua a ser libertada até não se detetar qualquer som, na pressão arterial diastólica.

Criar o ambiente ideal

Algumas pessoas reagem negativamente a ambientes clínicos, o que pode ter um efeito adverso nas leituras da sua tensão arterial. Por esse motivo, as leituras em casa podem ser mais fiáveis. Quando se mede a pressão arterial na clínica, ou em casa, é importante que o ambiente seja tal como o habitual, relaxado e calmo. O paciente deve estar sentado com o seu braço apoiado e estendido.

A escolha do aparelho certo

The picture shows a blood pressure meter for the wrist

Os tensiómetros são clinicamente eficazes apenas se forem fiáveis, corretos e exatos. Devem igualmente ser usados corretamente e nas condições adequadas.
A marcação CE é obrigatória nos aparelhos para uso doméstico, embora isso não seja uma garantia de que tenham sido clinicamente testados.

Os aparelhos para uso doméstico são geralmente oscilométricos. Para pacientes que necessitam de resultados muito exatos, a medição auscultatória é mais precisa, mas é habitualmente utilizada apenas por médicos.

Para maior segurança, há aparelhos que realizam ambos os métodos de medição (o método de Korotkoff, usado pelos médicos, e o método oscilométrico), de que resultam resultados fiáveis mesmo sob condições excecionais.


Obter leituras exatas

An elderly couple is sitting on a boat bridge, while the couple gaze the blood pressure meter at the husband’s wrist.

Uma medição exata depende de vários fatores. Por exemplo:

• A postura corporal. Para um dispositivo de pulso, o cotovelo deve estar ligeiramente dobrado e o monitor ao nível do coração. Para dispositivos de braço, o braço deve estar relaxado e colocado sobre a mesa.

• O ambiente. O stress aumenta a tensão arterial, por isso a situação deve ser o mais relaxada possível. A monitorização da pressão arterial em ambulatório, oferece uma medição mais fiável dado que os pacientes não sentem o ‘efeito da bata branca’, que pode aumentar as leituras, especialmente em pacientes mais suscetíveis. No entanto, a medição clinica da pressão sanguínea é útil para a triagem e para controlar a suspeita de hipertensão e a hipertensão real.