Bem vindo à HARTMANN. O nosso site usa cookies que guardam informação sobre a sua visita ao nosso website, a fim de lhe proporcionarmos uma experiência confortável e contínua como utilizador.Se continuar a navegar neste website, está a concordar com a utilização de cookies. Saiba mais sobre cookies na nossa Cookie Policy
bg-country-switch

Cuidadores como você

Mudanças no dia-a-dia

Regra geral, cuidar de um familiar idoso é uma experiência dilatada no tempo que exige a reorganização da vida a todos os níveis: familiar, emocional, físico, laboral e social.

  • Conselhos a nível familiar

Partilhar e falar com o resto dos familiares sobre os cuidados, informá-los e transmitir-lhes as suas preocupações, assim como evitar desenterrar problemas do passado ou deitar a culpa nos outros sobre questões já esquecidas.

  • Conselhos a nível emocional

Manter uma atitude positiva, dedicar algum tempo a si próprio e não deixar as amizades de lado; descansar e relaxar, assim como procurar informações e assessoramento profissional para enfrentar esta etapa.

  • Conselhos a nível físico

Cuidar de outra pessoa de forma prolongada é uma circunstância que pode afetar a sua saúde. Manter hábitos saudáveis como praticar exercício físico, descansar e controlar a dieta ajudá-lo-á a prevenir uma eventual sobrecarga física.

  • Conselhos a nível laboral

Talvez tenha de introduzir mudanças no âmbito do trabalho: é possível que tenha de compaginá-lo com os cuidados de um familiar ou até mesmo deixar de trabalhar. Seja como for, elaborar um plano de prestação de cuidados, reconhecer os próprios limites e aprender a dizer não àquilo que não for urgente vai ajudá-lo a encontrar o equilíbrio.

Aprenda a sentir-se bem

Enquanto cuida de outra pessoa, é possível que surjam sentimentos positivos e negativos, tanto relativamente à pessoa cuidada como relativamente a si próprio.

Estes sentimentos são lógicos, naturais e compreensíveis, e podem ir da tristeza à culpa, passando pela preocupação, a solidão, a irritabilidade e até mesmo a depressão. Identificar estes sentimentos e pedir ajuda a um profissional caso seja necessário vai-lhe permitir controlar os sentimentos e as emoções para que o cuidado dessa pessoa e a sua própria saúde emocional sejam os melhores possíveis.

Não esqueça que, como cuidador, deve reconhecer os seus próprios direitos e exigir que lhe sejam reconhecidos.

O que é que pode fazer para se cuidar melhor?

É provável que pense que ninguém poderá cuidar melhor do seu familiar do que você mesmo. No entanto, precisa de ter alguns momentos de "folga":

  • Recorra a serviços, instituições e associações de apoio ao cuidador onde irá receber assessoramento.
  • Informe-se e forme-se sobre os cuidados que vai precisar o seu familiar e consulte os profissionais sociais para resolver situações difíceis.
  • Estabeleça limites, deixe-se ajudar por outras pessoas e aprenda a dizer não quando a pessoa cuidada pedir mais atenções das necessárias.
  • Planear o futuro e antecipar-se aos problemas é uma forma de cuidar de si próprio e da pessoa que depende de si, assim como de assegurar-lhe os cuidados necessários caso você deixe de poder prestá-los.
  • Manter reuniões familiares para resolver problemas vai evitar tomar decisões precipitadas. Também pode recorrer a um mediador caso as relações familiares sejam tensas.

Manual do Cuidador